Pages

29 dezembro, 2008

vIDA

. . . vejo-a como um grande antro ideológico,
onde nos moldamos a cada instante . . .
com seus intervalos precisos
para refletirmos um pouco sobre ela
(aqueles momentos que achamos ruins,
são os principais para que isso aconteça).
Onde se faz presentes mundos em apenas um só mundo,
vidas dentro de outras vidas . . .
a maior preciosidade que tenho . . . a V I D A .
Enquanto ao futuro, tenho como uma incógnita gigantesca.
Prefiro sempre desfrutar do momento presente,
pois, os planos não passam de uma mera alusão desejada . . .



Jones Moreira

... cerca ...

acerca de ausência
encontro-me frágil perante a situação
desconheço quem sou, encontro o “nada” ...
e por alguns momentos escuto ecoar o bater de meu coração.
Desconcertante, sem dúvidas ... fora do compasso.
Cerca de solidão, posta prova minha coragem,
muro erguido pela distância ... que cega os olhos do viajor.
O que de positivo poderia da solidão retirar?
Dentro desse deserto de incertezas,
acabei me levando a acreditar
- que tudo no fundo traz um “tiquinho” de beleza.
E a solidão ... por sua vez também nos oferta momentos
ímpares ... basta-nos observa-la.



Jones Moreira

07 dezembro, 2008

sabor.e.AR

saber quem sou
não imagino...
saber o que quero
não reprimo...
exprimo os sabores,
e do ar que cheira amores
quero sempre o avesso.
não quero sucesso,
nem sossego...
não quero o fim,
nem sempre o começo...
eu quero os mistérios
de acordar e dormir...
eu quero sempre o AR,
dos verbos... quero AMAR
e me sentir... EU quero, ah ...


Jones Moreira

momento meu

07 /Janeiro/ 2007

Descobri o quanto preciso
ir p’ra longe... o quanto preciso
do meu leito particular.
Ah! Descobrir que a vida
só será BOA – quando nos
permitir VIVE-LA.
Que a SOLIDÃO é o refúgio
que nos revela os seres a nossa volta,
e por mais que neguemos a VERDADE
sempre estará presente.
Percebi ainda que FELIZ é aquele
que descobre a FELICIDADE interior,
sempre presente desde seu nascimento.
- Descobri, um monte de coisa que parece
até besteiras, mas, fez-me perceber.


Jones Moreira

... CORPO e MENTE ...

Traído pela incerteza de não ser...
afogo os meus prazeres na esperança
de um dia lhe ter – selvagem e vivente...
amor não é prazer que nosso corpo
cala e sente - é apenas um gosto
de sal que logo-logo passa o sabor
sentimental aos seres presentes...
e só restara a lembrança de algo
que nos traz a esperança de reviver
momentos inesquecíveis.
Algo que nos abre as portas da curiosidade
para outros temperos; outros aromas,
outros sabores... aí sim!
Chegaremos ao prazer vicioso de “trepar”
quase que involuntariamente, expugnando
os temores de se entregar um ao outro.
... CORPO e MENTE ...



Jones Moreira

01 dezembro, 2008

Deusa do Ebano

video

Uma breve homenagem a uma pessoa que tenho grande admiração, um ser humano que a todo instante me conquista (com jeito de ser e agir perante as coisas da vida), amo demasiadamente essa Negra. Que Olódùmarè / Nzambi Mpungu, aquele que nos transformou em quem nós somos hoje (um pr'outro), possa sempre iluminar cada dia mais os teus passos, feito teus olhos minha Deusa ...